liget dois

extras

Comentários, fotos, e até algumas playlists relacionadas às histórias desta edição.
Seguindo a ordem da revista:

Eu Acho Que Nós Já Exploramos... é uma história que escrevi há muito tempo baseada em fatos reais, mas não tão específicos quanto talvez pareça à primeira vista. Minha maior intenção aqui era retratar a depressão como uma pedra no relacionamento entre duas pessoas, algo pelo que já passei dos dois lados.

Gosto muito da playlist que fiz pra ela.

Master é o novo capítulo em A Era dos 16-Bits. Esta história ainda tem alguns elementos da minha própria vida, mas já começa a divergir um pouco, e Léo vai seguindo seu próprio caminho.

Achei interessante publicar uma história que retrata a eleição de 1989 justo agora que temos uma que (infelizmente) nos lembra tanto ela. Temos um novo caçador de marajás batendo à porta.

A playlist do Spotify continua valendo.

Amsterdã é outra que vai parecer bem mais autobiográfica do que é de fato. Quem me conhece sabe que eu morei em Amsterdã e tive um relacionamento parecido com o de Roy. A questão é que eu escrevi a história enquanto ainda estava nele, e queria falar mais do sentimento de estar numa terra estrangeira que era ao mesmo tempo fantástica em algumas coisas e fria em outras. Aí foi mais fácil usar circunstâncias que eu já conhecia pra deixar o personagem nessa situação.

Esta é outra playlist que eu achei bem massa.

Old Rock é talvez a mais autobiográfica de todas. Realmente houve um lugar assim onde a minha banda tocava de vez em quando, há muito tempo atrás. Chama-se Vila Rock, mas por causa da dona do lugar (e sua mãe, que também trabalhava lá), o apelido carinhoso era Velha Rock.
 

Bons tempos.

Não estranhem se surgirem mais histórias sobre bandas nos próximos números, é um tema que me é muito caro.

Esquema de cor inicial da capa.

© 2017 Marc Casilli. Créé avec Wix.com

  • Instagram - Black Circle
  • Twitter Square